A Aspen utiliza os dados dos cookies para personalizar e melhorar a sua experiência em nosso site. Esses cookies, bem como os dados dos formulários, tem como objetivo o uso interno para melhorar o desempenho do site e não serão, sobre hipótese alguma, divulgados publicamente.
Acesse aqui a nossa política de privacidade.

    Ação da Saúde garante 2,8 milhões de medicamentos de intubação

    Ministério da Saúde evita desabastecimento de medicamentos para intubação orotraqueal no Brasil após esforço conjunto entre o governo federal e farmacêuticas. Entregas aos estados já começaram.

    Ministério da Saúde, em esforço contínuo para evitar o desabastecimento de medicamentos para intubação orotraqueal (IOT) no Brasil, já garantiu mais de 2,8 milhões de unidades após diversos acordos fechados com indústrias farmacêuticas nos últimos dias. A ação reforça o compromisso do governo federal no apoio irrestrito aos gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) para salvar vidas. 

    Nesta segunda-feira (29/03), a empresa Aspen Pharma disponibilizou 13,8 mil unidades de IOT e a empresa Farmoquímica irá entregar 44.890 ampolas nos próximos dias. Essa remessa se junta a outros acordos firmados na sexta-feira (26/03). A empresa MSD se comprometeu a enviar 545 mil ampolas – 470 mil unidades para os próximos 15 dias e 75 mil para os próximos 15 dias. Em outra tratativa, a empresa Aché garantiu a distribuição de mais 129 mil unidades de medicamentos para intubação, que serão entregues nos próximos 7 dias. 

    Na última quinta-feira (25/03), a empresa União Química começou o envio dos medicamentos que foram acordados com o MS. O primeiro lote, com 165 mil sedativos, de um total de 1,4 milhão de unidades, chegou ao depósito de Guarulhos/SP. Em outros acordos, a empresa Cristália firmou compromisso de enviar 1,2 milhão de medicamentos e a Eurofarma se comprometeu a enviar 212 mil unidades. As entregas já começaram e devem se estender ao longo dos próximos dias. 

    Os acordos respeitam a realidade de cada fabricante, contratos prévios e a necessidade do país, contemplando hospitais públicos e privados nas regiões de maior risco de desabastecimento. Diante do quantitativo de medicamentos disponível, a distribuição é feita de acordo com o Consumo Médio Mensal informado pelas Secretarias Estaduais de Saúde ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS). 

    Assim que todas as entregas chegam aos estados e Distrito Federal, é de responsabilidade dos gestores locais a organização e distribuição dos medicamentos aos municípios, conforme as demandas. 

    Os medicamentos que compõem o “kit intubação” são: bensilato de atracúrio; midazolam; bensilato de cisatracúrio; morfina; cloridrato de dexmedetomidina; norepinefrina; cloridrato de dextrocetamina; propofol; diazepam; rocurônio; epinefrina; suxametônio; etomidato; remifentanil; fentanila, sal citrato; alfentanil; haloperidol; sufentanil; Lidocaína cloridrato; Enoxoparina; Heparina não fracionada (suína e bovina ); Imunoglobulina; pancurônio. 

Arquivos